Capital cultural da Rússia

São Petersburgo foi capital da Rússia Imperial. Surgiu no início do século XVIII, a partir da decisão do Czar Pedro O Grande em mudar a capital do país, saindo de Moscou para uma nova cidade onde ele pudesse exercer o seu reinado com maior poder e tranquilidade.

Após a Revolução Russa, mudou de nome e passou a se chamar Petrogrado. Com a morte de Lenin, em 1924, a região mudou mais uma vez e virou Leningrado, numa homenagem ao líder da Revolução Bolchevique. Com o desmoronamento do regime comunista, em 1991, voltou a adotar o nome de origem. Hoje, é a segunda maior cidade da Rússia, com 5 milhões de habitantes na área metropolitana, e a capital cultural do país. A Nevsky Prospekt é a principal avenida de São Petersburgo. É o centro econômico, financeiro e cultural.

O Palácio e Museu Hermitage é a sua maior atração turística, fica nas margens do Rio Neva, num enorme conjunto de cinco edifícios erguidos em épocas diversas. O Edifício principal é o Palácio de Inverno, e foi a residência dos Czares da Rússia.

Quem idealizou o Hermitage, como Museu, foi a Imperatriz Catarina II, a Grande, que tinha uma aproximação forte com o resto da Europa. Ela foi quem reuniu boa parte do acervo e expôs no Palácio. Com o passar dos anos, o acervo foi aumentando. Hoje, possui mais de 3 milhões de peças e é considerado um dos melhores do Mundo. Entre os artistas que estão lá representados destacam-se: Leonardo da Vinci e Michelangelo.

A Catedral do Sangue Derramado ou Templo da Ressurreição de Cristo foi construída no final do século XIX e inspirada na de São Basílio de Moscou. Possui as cúpulas coloridas em forma de cebolas. Recebeu o apelido porque foi construída no local onde o Imperador Alexandre II foi assassinado por terroristas russos.

Em função da grande quantidade de canais que estão emaranhados por São Petersburgo, a partir do Rio Neva, e por estar localizada a 60º de latitude norte, bem perto do Círculo Polar Ártico, a cidade foi apelidada de “A Veneza do Norte”.

O Palácio de Verão Peterhof fica na beira do Golfo da Finlândia, foi construído para funcionar como residência de verão. Os jardins possuem um complexo sistema de fontes e canais. Engenheiros e arquitetos hidráulicos aproveitaram a abundância de água corrente natural e os desníveis do terreno para montar uma engenhosa sequência de fontes e canais. O destaque maior fica para a escadaria principal, com a Grande Cascata e dezenas de esculturas pintadas a ouro que impulsionam água e dão grandiosidade aos jardins de Peterhof.

Quando ir

A Rússia europeia possui clima temperado continental, com verões amenos e invernos rigorosos. A melhor época para viajar para São Petersburgo é no verão, de junho a setembro. Nesses meses, as temperaturas são amenas durante o dia, com noites agradáveis. Os dias são longos e o turista aproveita melhor o tempo. Anoitece após as 22h e amanhece antes das 4h.

Como chegar

VOOS

Não existem voos direto do Brasil para São Petersburgo, contudo, há diversas opções de voos com conexões. Os brasileiros não precisam de visto nem de certificado de vacinas para entrar na Rússia, desde que a estadia não ultrapasse 90 dias, mas o passaporte precisa ter validade mínima de seis meses da data de retorno da viagem. Na checagem da imigração, às vezes é necessário apresentar passagem de volta, comprovante de recursos financeiros e seguro de saúde.

Hotéis em São Petersburgo

A região do Centro Histórico é uma das melhores opções para se hospedar em São Petersburgo. Procure ficar próximo à famosa avenida Nevsky para, dessa forma, poder desfrutar de bons bares, restaurantes, lojas, além de ter fácil acesso ao transporte de qualidade. Quem deseja mais tranquilidade, pode procurar por hotéis nas regiões Sennaya e Kolomna.

Dicas de viagem

Como circular:

o meio de transporte mais eficiente de São Petersburgo é o metrô, simples e autoexplicativo. As sinalizações usam o alfabeto cirílico e o latino, o que favorece a identificação dos destinos. São Petersburgo, apesar de ser uma cidade grande, possui a maioria das suas atrações no centro histórico e pode ser visitada a pé. Alguns destinos como o Palácio de Verão Peterhof e o Palácio de Verão de Catarina ficam fora da cidade. Nesse caso, o ideal é adquirir um tour com alguma agência de turismo receptivo que levem a esses destinos.

Catedral de Santo Isaac:

visite a maior e mais importante catedral de São Petersburgo e uma das maiores do mundo: se ergue imponente sobre a cidade, com a imensa cúpula dourada. É luxuosa interna e externamente. É um monumento da Igreja Ortodoxa Russa.

Palácio de Verão de Catarina:

localizada nos arredores de São Petersburgo, a atração é uma joia da arquitetura russa. A decoração utilizou mais de 100 quilos de ouro para revestir as estátuas dos pilares da área externa.

Outros destinos

  • Moscou

A Rússia é um país imenso, o maior do Mundo. Parte está na Europa e parte na Ásia.
  • Berlim

A programação é intensa em todas as épocas do ano. Não à toa, a cidade – segunda mais populosa da Europa (cerca de 3,5 milhões de habitantes) – é uma das mais procuradas do continente.
  • Praga

Caminhar pela charmosa capital da República Tcheca, um dos destinos mais visitados da Europa (só em 2016, recebeu cerca de 7 milhões de turistas) é como estudar história ao vivo.
  • Viena

O passado da Áustria está ligado ao Império Austro-Húngaro. Os palácios e monumentos arquitetônicos do país são testemunhas da força e poder do Império dos Habsburgo.

Compartilhe essa página com os amigos: