Destinos Smiles: Panamá e Suas Belezas

Cidade do Panamá, uma região que surpreende

A capital do Panamá, pequeno país situado entre a Costa Rica e a Colômbia, é daqueles destinos que surpreendem. Primeiro, porque está próxima a uma das obras mais incríveis da humanidade: o Canal do Panamá, que, desde 1914, vem transformando a economia mundial ao conectar o Oceano Pacífico ao Atlântico. Todos os anos, mais de 14 mil navios recorrem ao atalho de 80 quilômetros de extensão – caso ele não existisse, uma embarcação que sai da costa oeste dos Estados Unidos em direção à Europa, por exemplo, teria que contornar a América do Sul para chegar ao destino. A Cidade do Panamá ainda é uma ótima opção para fazer compras e também mescla história com modernidade: no mesmo dia, é possível passear entre as ruínas de Panamá Viejo e curtir uma noite animada com vista para os ostentosos arranha-céus que lhe renderam o apelido de Dubai da América Central.

Comer

Maito: Comandado pelo chef Mario Castrellón, o restaurante já foi eleito um dos 50 melhores da América Latina. O diferencial da casa são os ingredientes usados, boa parte vinda de comunidades indígenas locais. Só para citar um exemplo, a carimañola, bolinho de mandioca famoso no país, vem acompanhado de um carpaccio de polvo ao coco.

Café Coca-Cola: Não julgue o livro pela capa – ou, nesse caso, a comida por seu visual. Os pratos do Café Coca-Cola não são muito bonitos (parecem o nosso PF, com arroz, feijão e carne), mas o sabor compensa. Inaugurado em 1875, deve ser o café mais antigo do país: Che Guevara e Pablo Neruda comeram por lá.

Ochoymedio: Comer frutos do mar em região rodeada pelo oceano é outra história. Que o diga quem visita o descolado Ochoymedio, do premiado chef Andrés Madrigal. No menu, fazem sucesso pratos como o salmão assado e o arroz com mariscos. A casa também se destaca pelos drinks. Experimente o Sinatra, que leva uísque, licor e hortelã.

Café Unido: O Café Unido é a rede de cafeterias mais legal da região. Descolada, é tipo o Starbucks do Panamá, mas com um charme a mais: só trabalha com grãos regionais. Experimente o delicioso Geisha, a bebida mais pedida da casa, que mistura notas de flores e frutas tropicais ao intenso sabor do café.

Comprar

Galeria Diablo Rosso: O passado e o presente em um só lugar: a badalada Galeria Diablo Rosso, no coração do histórico bairro Casco Antiguo, é o point para comprar roupas, acessórios e quadros de jovens artistas locais. A loja fica em um prédio construído no século 19 que, anos atrás, funcionava como um colégio de freiras.

Albrook Mall: Um pouco distante do centro da cidade, o Albrook Mall é o paraíso para quem gosta de fazer compras. O maior shopping do país possui nada menos que 700 lojas, cem restaurantes e outras atrações como cassino e boliche. Vá com tempo para explorá-lo.

Victor's Panama Hats: Apesar de ser originalmente equatoriano, o famoso chapéu Panamá, produzido com palhas toquilla, é um símbolo do país panamenho: o acessório leva esse nome porque era exportado via Canal do Panamá. Você encontra diversos modelos do chapéu nas lojas do Casco Viejo. Uma das mais tradicionais é a Victor's Panama Hats.

Nina Concept Store: A charmosa Nina Concept Store, na região de Obarrio, reúne uma boa curadoria de produtos descolados vindos de diversas partes do mundo. Há desde livros de arte da editora Taschen, acessórios femininos e masculinos a luminárias modernas produzidas na Suécia.

Sair

Panaviera: A vista do Panaviera, um dos bares mais legais da Cidade do Panamá, é de impressionar. Também, pudera: fica no 66º andar de um prédio onde também está o sofisticado Ocean Sun Casino. Boa pedida para tomar um drink e observar o imponente skyline panamenho.

La Rana Dorada: O Panamá também sabe fazer cerveja artesanal, e o melhor local para experimentá-la é o La Rana Dorada, pub rústico que fica na Vía Argentina. A casa conta com rótulos de diversas características. Se o dia estiver quente e quiser uma cevada mais refrescante, prove a La Rana Blanche, feita com cascas de laranja e limão.

Relic Bar: Imagine dançar em um calabouço escondido entre as ruas antigas do histórico Casco Viejo. Esta é mais ou menos a proposta do Relic Bar, que, mais do que uma balada, é uma experiência. Tem cervejas artesanais, drinks e um som animado, de rock a hip-hop.

Tântalo: Para dançar e curtir drinks elaborados, vá ao descolado Tântalo, na cobertura do hotel homônimo, bastante frequentado por jovens locais. Não tem erro: a casa é animada sete dias por semana e ainda serve tapas e ceviches para petiscar.

A palavra de quem conhece

“O Panamá é um bom destino para surfar. Conheci o país recentemente com a família e, depois de pegar boas ondas em praias da região como Playa Venao e Playa Cambutal, passei um dia e meio explorando a Cidade do Panamá. Adorei. Além do bairro de Casco Viejo, que é lindo, tem que visitar o Canal do Panamá. Dá para passar umas duas horas e meia lá vendo os navios e conhecendo a história do local.”
Ricardo Bocão, um dos pioneiros do surf brasileiro e apresentador do canal Woohoo.

Quando ir?

Conhecida por ser uma região chuvosa, a Cidade do Panamá pode ser visitada entre os meses de dezembro a março, época mais seca e ideal para os passeios. Para quem deseja ir ao destino para fazer compras, considere os períodos de troca de coleção, nos meses de janeiro, fevereiro, julho e agosto.

Como chegar?

Ícone

VOOS

Os voos chegam ao Aeroporto de Tocumen, localizado a cerca de 28 km do centro da capital.
Saiba mais sobre os voos.

Dicas

  • Biomuseu: aberto em 2014 para abordar a biodiversidade da região, o Biomuseu não se destaca apenas por seu conteúdo. Está localizado em um colorido e contemporâneo prédio assinado pelo respeitado arquiteto canadense Frank O. Gehry. É o primeiro projeto do profissional na América Latina e, por si só, já é um programão.
  • San Blás: acredite: em pouco menos de três horas de carro até o porto de Carti e mais um pequeno trajeto de barco, você deixa os arranha-céus da Cidade do Panamá e chega ao paradisíaco arquipélago de San Blás, habitado pelos índios kunas. As águas caribenhas são calmas e cristalinas, perfeitas para momentos de sossego.
  • Panamá Viejo: vale a pena reservar algumas horas para explorar o Panamá Viejo, região onde hoje está o que sobrou da antiga Cidade do Panamá, evacuada e queimada em 1671 após o ataque de um pirata. O local, declarado Patrimônio da Humanidade pela UNESCO, é repleto de ruínas e parece até cenário de filme.
  • Cinta Costera: às margens da baía, o Cinta Costera é onde locais e turistas, principalmente em família, costumam passear e fazer exercícios. A área conecta os bairros modernos ao Panamá Viejo e conta com um enorme calçadão, ciclovias, espaço próprio para andar de skate e um incrível visual na hora do pôr do sol.

American Trade Hotel: Luxuoso, o American Trade Hotel, em Casco Viejo, ocupa um prédio de 1917 que foi totalmente restaurado e, ainda assim, mantém características de sua arquitetura original. Entre as atrações do hotel, estão a decoração com móveis de madeira panamenha e o Danilo's Jazz Club, bar de jazz do premiado músico local Danilo Perez.

Le Méridien Panama: O spa com produtos da sofisticada marca Clarins é só um dos atrativos do Le Méridien Panama. O hotel, localizado entre os prédios modernos da cidade, também oferece aos hóspedes suítes elegantes com vista para a baía.

Riu Plaza Hotel: Em meio ao movimentado centro financeiro da Cidade do Panamá, o Riu Plaza Hotel oferece serviços que agradam tanto quem está no destino a passeio como a trabalho. Além de spa e academia, o hotel possui 23 salas de conferência e suítes confortáveis de 39 a 258 metros quadrados.

Central Hotel Panamá: Para aproveitar os dias quentes que fazem no destino, os hóspedes do Central Hotel Panamá têm acesso a uma deliciosa piscina na cobertura. Entre um mergulho e outro, quem sabe com um drink na mão, é possível curtir a paisagem da parte antiga da cidade.

Ícone

Hotéis em Cidade do Panamá

Reserve seu Hotel
Mapa

Lugares para visitar

Outros destinos

Cidade do México
Cancún
Nova Iorque
Orlando

Compartilhe essa página com os amigos: