Cosmopolita e europeia

Algumas cidades no mundo habitam um lugar tão especial no imaginário das pessoas que a simples menção do seu nome já causa uma sensação positiva. Por exemplo, repita: Londres. Ao lado de Nova York como um dos lugares mais cosmopolitas da Terra, a capital britânica abriga gente de todos os cantos da Terra – o que garante programas culturais e gastronômicos absolutamente ecléticos e surpreendentes.

Londres ficou ainda mais atraente depois da realização dos Jogos Olímpicos de 2012. A cidade aproveitou para revigorar, de forma profunda, uma área abandonada no leste de Londres, as redondezas de Stratford. Após o término das Olimpíadas, o que era um terreno vazio virou um enorme espaço público de esporte e lazer com programação durante o ano inteiro – é no verão, porém, que o local fica ainda mais vibrante graças aos chafarizes que se transformam em um refresco para as famílias. Ainda no canto leste de Londres destaque para o bairro de Shoreditch, que concentra bons endereços de uma cena noturna fervilhante. Em Southwark, próximo à Ponte de Londres (um dos cartões postais mais clássicos da cidade) e às margens do limpo rio Tâmisa, ficou pronto, em 2012, a mais nova referência urbana (e prédio mais alto) de Londres: The Shard, um complexo de 310 metros de altura e 95 andares de escritórios, apartamentos residenciais e hotel. Ótimo mirante para ter a cidade aos seus pés e decidir por onde desbravar um dos destinos mais fantásticos do planeta.

Comer

Blanchette Soho: Bistrô francês com influência da culinária norte-africana, é comandado por três irmãos, tem ambiente despojado, móveis vintage e balcão compartilhado. O menu varia de croque monsieur a pratos como perna de pato crocante com berinjela temperada e geleia de pimenta defumada. O brunch também é um dos destaques do restaurante.

Barrafina: Autêntica casa de tapas, é um dos mais disputados restaurantes de comida espanhola de Londres. Nos três endereços (Dean Street, no Soho; e Adelaide Street e Drury Lane, em Covent Garden), é possível se acomodar no balcão de mármore para ver os cozinheiros pilotando pratos originais da Espanha, como polvo e morcilla com ovos de codorna.

CookDaily: Na Shoreditch Higt St. fica o BoxPark, uma espécie de shopping a céu aberto, onde pequenas lojas e os restaurantes funcionam em contêineres. E é lá que o CookDaily forma filas de clientes jovens atrás de suas criações veganas, feitas com tofu, cogumelos, ovos, arroz integral e uma apetitosa variedade de vegetais.

Rosa’s Thai Café: Em Londres, você encontra todos os sabores do mundo. Para provar a melhor comida tailandesa da cidade, vá ao Rosa’s Thai Cafe e peça os camarões crocantes servido com o molho de pimenta rosa, noodles ou sopas picantes com leite de coco cremoso, cogumelos e a proteína de sua escolha (tofu, frango ou camarão). Há opções vegetarianas e sem glúten.

Comprar

Columbia Road Flower Market: Todos os domingos, na estreita Columbia Road, pontuada por casinhas vitorianas, no bairro de Shoreditch, acontece o tradicional Flower Market, onde a rua fica repleta de flores e plantas. No entorno, são vendidos artigos para jardinagem, há lojas de antiguidades, pequenas galerias de arte e delicatessens. Boa pedida para um desjejum em um dos cafés vizinhos.

Liberty: Loja de departamentos na região central da cidade, você encontra grifes como Alexander McQueen, Vivianne Westwood e Stella McCartney, além de peças de marca própria, como os famosos lenços e echarpes da Liberty. Há ainda seções de joias, bolsas, óculos, perfumes, maquiagens velas e tecidos e itens para costura.

Dover Street Market: Prepare o cartão. Na loja de multimarcas criada por Rei Kawakubo, estilista da Commes des Garçons, marcas como Gucci, Raf Simons, Céline, Vetements e Dior não são apresentadas em simples vitrines, mas em grandes instalações, o que confere mais luxo aos cinco andares do prédio, próximo da Piccadilly Circus.

Harvey Nichols: Na esquina de Knightsbridge com a Sloane Street, há outro templo da moda, este de oito andares: a Harvey Nichols, que reúne grandes grifes, como Chloé e Balenciaga, além de marcas de acessórios. Destaque também para maquiagem e produtos de beleza, a variedade é grande. O quinto andar, repleto de restaurantes, serve como pausa e descanso das compras.

Sair

Fabric: Eleito uma das 100 melhores casas noturnas do mundo pela revista britânica DJ Magazine, o lendário clube é um desses lugares em que é obrigatório bater ponto. Aberto em 1999 no bairro Farringdon, é palco apresentações de música ao vivo em dois andares, mas é o piso Room One seu grande trunfo. As noites de eletro e hip hop rolam em uma pista de dança especialmente equipada que permite aos clubbers sentir a música através das frequências transmitidas no chão por transdutores de graves. Espetacular.

The Book Club: De dia, os dois andares do antigo armazém no estilo Vitoriano são ocupados por jovens imersos em seus laptops que bebericam uma xícara de café e beliscam panquecas. De noite, coquetéis servidos em jarras para compartilhar, com nomes como Tequillin’ Me Softly e Red Choc Chilli Peppers, garantem a boa vibe até altas horas. No porão, a pista toca de house a hip-hop para você dançar sem ver a hora passar.

Ronnie Scott's: Gosta de jazz? Então, nem precisa pensar muito para escolher onde ouvir o fino desse tipo de música. O Ronnie Scott´s foi aberto em 1959 pelo saxofonista Ronnie Scott para músicos locais poderem improvisar da forma que quisessem. Hoje, no Soho, o Ronnie não é conhecido apenas em Londres – a fama do lugar é mundial.

Under The Bridge: O endereço é de um estádio de futebol, mas não desista: o bar e casa de shows de excelente iluminação fica mesmo no estádio Stamford Bridge, em Fulham Road. Além de ser famoso pela animação do bar, rock, hip hop, jazz e outros tons costumam lotar o lugar. Pode ir sem pensar duas vezes.

A palavra de quem conhece

“Uma das cidades mais inspiradoras do mundo, seja para se respirar história, absorver cultura e com o melhor campeonato de futebol do mundo. E, apesar da descrença secular, come-se maravilhosamente bem. Para uma loja de disco existir hoje, quando quase não se compra mais discos em lojas, ela tem que ter muita personalidade e outras coisas. Essas ‘outras coisas’ que a Rough Trade East tem, além da melhor seleção de lançamentos e raridades, é um café incrível e shows semanais muito disputados. Fora que está situada em Brick Lane, no bombado lado oeste de Londres, cheio de restaurantes bacanas, pubs, lojinhas cool e urban art em qualquer lugar que se olhe. Ir à Rough é também um passeio moderno e sempre interessante.“
Lúcio Ribeiro, jornalista e curador do Popload Festival, morou em Londres em 1991 e volta uma vez por ano.

Quando ir

Londres é conhecida por sua instabilidade climática. Na cidade, a chuva é mais comum do que se imagina, mas não diminui a beleza da cidade. De outubro a dezembro, o local possui temperaturas mais baixas, o que significa preços mais em conta.

 

Como chegar

VOO

Os voos chegam ao aeroporto de Heathrow, situado a pouco mais de 20 km do centro de Londres. Saiba mais sobre os voos.

Hotéis em Londres

The Hoxton:

Em Shoreditch desde 2006, o The Hoxton chama a atenção pelos detalhes de peças industriais, pelo piso de tacos de madeira, pelos grandes espelhos e pela combinação de cores dos seus 210 quartos. Pontos de luz sobre poltronas também convidam à leitura. Tão confortável que às vezes é difícil de sair.

The Ned:

As colunas brancas e a enorme porta de entrada do The Ned deixam claro que o lugar é para poucos e bons. Pertinho da estação de metrô Bank, o prédio de 252 quartos, nove restaurantes, spa e academia de ginástica é patrimônio histórico e foi projetado em 1924. Peças vintage e traços de design que remetem às décadas de 1920 e 1930 fazem da estadia nesse requintado endereço uma verdadeira viagem no tempo.

Ace Hotel London Shoreditch:

A pouco mais de 4 km do centro de Londres, o Ace Hotel já é uma das principais referências no badalado bairro de Shoreditch, no leste da capital. O hotel – já famoso entre os hipsters – também fica próximo de galerias de arte, do Geffrye Musuem e do Barbican Arts Centre. Aproveite o The Roof Top, o bar no sétimo andar.

Strand Palace Hotel:

De excelente localização, próximo ao rio Tâmisa, em Westminster Borough, é super-recomendável para quem está interessado em parques, compras, museus e teatro. Com serviço impecável e tradição que quem recebe turistas desde 1909, o Strand Palace causa impacto logo de cara, com sua fachada suntuosa.

Dicas de viagem

Sky Garden:

inaugurado em 2015, o 35º e último andar de um arranha-céu localizado no centro da cidade é ocupado pelo Sky Garden, uma cúpula de vidro que abriga o jardim público mais alto de Londres e oferece vistas de 360 graus. Há um restaurante, uma brasserie e três bares. É aberto ao público, mas é necessário reservar a visita com antecedência.

Hampstead Heath:

nesse parque de 320 hectares na região norte de Londres, há cerca de 180 espécies de aves, 23 de borboletas e uma flora riquíssima. Ideal para caminhadas. Vá até o topo da Parliament Hill, de onde se vê vistas amplas da cidade. Uma casa do século 18, um zoológico, uma pista de atletismo e playgrounds para as crianças garantem o dia de visita. Se for no verão, há lagoas permitidas para banho.

Tate Modern:

um dos museus de arte moderna e contemporânea mais importantes do mundo, os sete andares do Tate Modern guardam obras de Henri Matisse, Claude Monet, Andy Warhol e Jackson Pollock. Com entrada gratuita, localiza-se na antiga estação de energia de Bankside, em frente ao rio Tâmisa e à passarela que leva à Catedral de St. Pauls. Na saída, não deixe de fazer uma parada na loja do museu.

Somerset house:

instalado em um palácio neoclássico de arquitetura estonteante, esse centro de artes e cultura contemporânea tem uma programação excepcional de exposições e abriga a comunidade criativa de Londres, como as 120 startups que tem a Somerset House como sede. No inverno, uma enorme pista de patinação no gelo montada na área externa vira a grande atração do local (em 2017, será inaugurada em 15 de novembro).

Outros destinos

  • Bariloche

O destino é famoso entre os brasileiros devido à proximidade com o Brasil e por muitas vezes acabar proporcionando um primeiro contato com a neve.
  • Florianópolis

Apesar da cidade começar no continente, é atravessando a ponte que você percebe que chegou em Florianópolis.
  • Las Vegas

Considerado um parque de diversões em forma de cidade, o destino reúne milhares de atrações para adultos.
  • Santiago

Santiago tem um contraste moderno e histórico em um cenário com ar europeu e ritmo latino.

Compartilhe esta página com os amigos: