Melhores Destinos Smiles: As delícias de Belém

Belém

Faz tempo que a capital paraense deixou ser a “porta de entrada da Amazônia” para ser um destino espetacular por si só, uma cidade obrigatória para quem quer entender o norte do Brasil e a vida na floresta. Além de ser um destino vibrante, com cenas gastronômica e cultural de relevância nacional, Belém é trampolim para Ilha de Marajó, sua vizinha de frente, e Alter do Chão, na boca do rio Tapajós. A cidade recebe ainda, em outubro, o Círio de Nazaré, a maior festa religiosa do Brasil com mais de duas milhões de pessoas (a população local não chega a 1.5 milhão). Em qualquer época do ano, porém, é na beira da Baía do Guajará, com o movimento e os aromas do mercado Ver-o-Peso, que Belém mostra a sua face.

Vista da cidade de Belém

Comer

Remanso do Bosque: O menu degustação de dez pratos e o serviço à la carte do restaurante capitaneado pelo chef Thiago Castanho e seu irmão Felipe catapultaram o Remanso à lista do melhores restaurantes da América do Sul em 2016. Ocupam a 44ª colocação graças a pratos como peixe assado na folha de bananeira, servido com tucupi, e dadinho de tapioca com pirarucu defumado e melaço de cupuaçu. A algumas quadras, o Remanso do Peixe serve comida mais tradicional, como a moqueca de filhote cozido no molho de tucupi, camarão-rosa, jambu e pimentões.

Comida típica de Belém

Saldosa Maloca: É impressionante ver a localização desse restaurante no Google Maps: de um lado do rio Guamá, o cinza da parte urbanizada de Belém; do outro lado, a gigantesca Ilha de Combu, onde fica o Saldosa Maloca, montado em uma palafita sobre o rio: um verde denso, que cobre toda a ilha. Os barcos que vão para lá partem da praça Princesa Isabel, no bairro da Condor. A travessia dura 10 minutos. Prove petiscos como o brasileirinho, bolinho de pescada amarela com jambu e creme de tucupi.

Tacacá da Dona Maria: Se os food trucks dominam as vias das capitais do sudeste, quem reina nas ruas de Belém são as barraquinhas de tacacá. Destaque para a da Dona Maria, na avenida Nazaré, em frente ao Colégio Nazaré. Servido em uma cuia, o tacacá é um caldo quente que leva tucupi, camarão, jambu e goma de tapioca cozida. Apesar do recente falecimento de Dona Maria, a qualidade do lugar se manteve referência na cidade.

Sorveteria Cairu: Os sabores exóticos de frutas típicas do Pará e da Amazônia fizeram da Cairu um ícone da capital paraense. Uma sorveteria artesanal com tradição de 50 anos – e mais de 50 sabores no cardápio. Os primeiros feitos por Ruth e Armando Laiun foram cupuaçu, teperebá e muruci. Atualmente, o mais vendido é o kinder ovo. A sorveteria tem 13 endereços em Belém (o da Estação das Docas é dos mais visitados) e dois no Rio de Janeiro.

Comprar

Ver-o-Peso: Com 390 anos de história de comércio nesse ponto, o mercado (com estrutura de ferro trazida da Europa no fim do século 19), é uma ótima introdução à atmosfera paraense. Nas centenas de barracas, é possível encontrar açaí in natura, pescados fresquíssimos, frutas regionais, raízes, temperos, ervas e comidas típicas – como a maniçoba –, além de artesanatos e óleos medicinais que curam de unha encravada a amores malfadados. Quer ver o desembarque de peixes e açaí? Basta chegar lá pelas 3h30 da manhã. Para ir sem pressa – e voltar sempre.

Da Tribu: A marca vende acessórios sustentáveis – colares, pulseiras, anéis, brincos, carteiras e bolsas – elaborados com design e matéria-prima paraenses, como látex e cerâmica marajoara. A loja em Campina abre seu terraço para apresentações musicais e bazares colaborativos.

Filha do Combu: Na Ilha do Combu, fica a produção do famoso chocolate da Dona Nena, com 100% de cacau. Cultivado em um “quintal” de 14 hectares, o produto já foi usado em sobremesas do Remanso do Bosque, do conterrâneo Thiago Castanho, e do D.O.M, do chef Alex Atala.

Boulevard Shopping: O Boulevard Shopping é um dos principais centros de consumo de alto padrão do Estado. Com cerca de 300 lojas, seu mix conta com marcas de luxo como Le Lis Blanc, H. Stern e Swarovski.

Sair

Balcão do Remanso: Desde abril, o restaurante Remanso do Bosque tem um bar de ambiente descontraído e comidinhas rápidas. Na carta de drinks, assinada pelo premiado barman Kennedy Nascimento, há preciosidades como o Tacacachaça (com bourbon, cachaça de jambu, maracujá e limão) e o Tiki do Remanso (com cachaça, rum, licor de castanha e casca de cacau).

Comida Típica de Belém

Casa do Fauno: Ocupando um antigo prédio no bairro do Reduto, a Casa do Fauno é um misto de livraria, brechó, café, bar e restaurante. Às quintas e sextas, a música rola ao vivo com apresentações de grupos de jazz, blues e MPB em um quintal cujo palco privilegia trabalhos autorais e artistas locais.

Gotazkaen: Localizado no bairro de Campina, é um dos endereços mais badalados da cidade. Os clientes se espalham pelo antigo casarão reformado e também nas mesinhas na calçada e na pracinha em frente. É o lugar para quem gosta de curtir a noite com uma cerveja na mão e um bom hambúrguer no prato.

Amazon Beer: Instalada na Estação das Docas, a Amazon Beer é pioneira em incorporar ingredientes amazônicos às cervejas – os oito rótulos são produzidos aqui. Vale pedir a encorpada Stout Açaí ou a refrescante Witbier Taperebá para desfrutar o visual do pôr do sol sobre o rio Guajará.

Fotos: Victor Affaro e Valdemir Cunha

Quando ir?

O melhor período para os passeios acontece entre junho e novembro. Nessa época, o turista pode aproveitar para participar do Círio de Nazaré, o maior evento da capital, realizado em outubro.

Como chegar?

Ícone

VOOS

Os voos chegam ao aeroporto internacional de Belém Val-de-Can, localizado a aproximadamente 12 km do centro de Belém. Saiba mais sobre os voos.

Dicas

  • Estação das Docas: inaugurado em 2000, o complexo turístico foi construído para dar um novo significado ao antigo porto fluvial. Em três grandes armazéns reformados de ferro inglês, há restaurantes, bares, lojas (biojoias, roupas e artesanato local), cinema, teatro e espaços para apresentações de música e dança. Daqui saem inúmeros passeios de barco pela Baía do Guajará.
  • Projeto Circular: a cada dois meses, o Projeto Circular promove atividades culturais em mais de 30 espaços (galerias, museus, ateliês, cafés, bares, centros culturais e coletivos artísticos) instalados na Cidade Velha, em Campina e no Reduto. São os bairros mais antigos de Belém. Criada em 2013, a iniciativa também ocupa áreas públicas dessas regiões – tudo em nome do resgate do Centro Histórico da capital paraense.
  • Kamara Kó: fundada em 1991 como uma agência de fotografia, a galeria expõe obras de artistas visuais e fotógrafos paraenses. Entre seus residentes, estão artistas que trabalham a fotografia expandida para outras linguagens (desenhos, video mapping e registro de performances), como Alberto Bitar e Mariano Klautau Filho.
  • Mangal das Garças: às margens do rio Guamá, próximo ao encontro com a baía do Guarajá, sempre há um trânsito intenso de garças e guarás. É bem ali que fica o parque ecológico que preserva flora e da fauna da floresta amazônica. As quatro atrações do lugar costumam agradar a família inteira: viveiro de pássaros, borboletário, Memorial Amazônico da Navegação (com barcos antigos) e o Farol de Belém: um mirante de 47 metros com uma ótima vista de Belém.

Grand Mercure Belém: localizado na avenida Nazaré, a alguns minutos a pé de atrações como o Theatro da Paz, o hotel dispõe de sauna e piscina em sua área de lazer. A Suíte Presidencial, além de ofurô, tem uma piscina externa com boa vista para a cidade. É o 5 estrelas da capital.

Radisson Hotel: um dos hotéis mais bem avaliados nos sites de reserva, o Radisson conta com sala de jogos e videogames, piscina externa com hidromassagem, lounge e sauna seca. Fica no bairro de Nazaré, a alguns passos da Basílica de Nazaré e de bares e pubs que movimentam a vida noturna de Belém.

Golden Tulip: próximo ao agitado Boulevard Shopping Center, no nobre bairro de Umarizal, o Golden Tulip tem quartos decorados com madeira escura e paredes de tons pastéis. Seu espaço gastronômico mistura os sabores da culinária paraense com a tradicional cozinha italiana, mas o ambiente preferido dos hóspedes costuma ser a piscina ao ar livre em sua cobertura.

Princesa Louçã Hotel: situado no bairro de Campina, a pouco mais de um quilômetro do mercado Ver-o-peso, o hotel tem 361 quartos: muitos oferecem vista privilegiada da Baía do Guajará e da Praça da República e suas enormes mangueiras. Seu restaurante, o Açaí, serve pratos típicos como o aclamado pato no tucupi.

Ícone

Hotéis em Belém

Reserve seu Hotel
Mapa

Lugares para visitar

Outros destinos

Florianópolis
Vitória
Maceió
Porto Alegre

Compartilhe essa página com os amigos: